Sim, pode ser uma boa noticia, para muitos, o governo japonês tem sinalizado que pode haver uma liberação *com muitas restrições* do visto japonês para quem tem a quarta geração da descendência japonesa, porém algumas restrições tem deixado boa parte dos descendentes que aguardava ansiosa por esta liberação de cabelo em pé. A liberação que provavelmente será aprovada, é para o descendente yonsei que tem menos de trinta anos, que tenha um conhecimento da língua japonesa e os que já são casados, não pode levar os seus cônjuges, como acontece hoje como o nissei e sansei (filho e neto de japonês).  Para muitos esta situação pode se resolver mais pra frente, quando o Japão resolver se acostumar com a chegada dos primeiros yonseis no solo nipônico, mas ninguém quer esperar sentado, querem ir agora e com o limite de idade, que é de 30 aumentado ou excluído, já que muitos yonseis tem mais de 30 anos e tem inclusive filhos de quinta geração.
Banner Yonsei3
O formulário abaixo é para coletar o máximo possível de pessoas para que o governo japonês entenda que o perfil do yonsei hoje não só no Brasil mas no mundo onde tem colonia japonesa, é de adultos e não apenas de estudantes como talvez eles imaginem.

Preencha o questionário abaixo.

P.S. O IDEAL MESMO SERIA O GOVERNO JAPONÊS CONSIDERAR A LIBERAÇÃO DO VISTO PARA YONSEI COMO FAZ PARA AS GERAÇÕES ACIMA, PORQUE O PRÓPRIO JAPÃO HOJE SOFRE COM FALTA DE MÃO DE OBRA, E SUA GRANDE QUANTIDADE DE IDOSOS QUE FAZ TER MAIS DEPENDENTE ATIVO QUE CONTRIBUINTE, COM A   ENTRADA DA QUARTA GERAÇÃO O JAPÃO TERIA TRABALHADORES PARA SUPRIR SUA NECESSIDADE NA INDUSTRIA E AO MESMO TEMPO CONTRIBUINTES PARA FECHAR AS CONTAS COM OS APOSENTADOS.

Cori Passos
cori@vistojapones.com

Anúncios

O esperado visto para os nikkeis yonsei poderá ser introduzido até o final deste ano fiscal ou até março do ano que vemyonsei vistoA ministra da justiça, Yoko Kamikawa, e o primeiro-ministro Shinzo Abe se encontraram na segunda-feira (25) e definiram as diretrizes para a introdução do novo visto para os descendentes de japoneses, os de quarta geração.

O encontro foi na residência oficial para conferir as diretrizes.

Segundo a imprensa japonesa, o anúncio oficial sobre o assunto deverá ser realizado em janeiro. O novo visto permitirá ao descendente de quarta geração, chamado de yonsei, trabalhar no Japão.

Diretrizes do visto para yonsei
Para o novo tipo de visto, está sendo considerada a aceitação da estadia por até 5 anos, como ocorre com o visto de atividades específicas (特定活動, lê-se tokutei katsudo).

A faixa etária para os considerados yonsei será de 18 a 30 anos.

Conforme já foi anunciando anteriormente, será feita a exigência da proficiência do idioma japonês para a renovação do visto a cada 1 ano. Mas ainda não está claro o nível da proficiência. A condição é de que o yonsei possa estabelecer diálogo, fale, leia e escreva a língua japonesa.

Segundo o ministério, atualmente o cidadão yonsei só consegue obter o visto de permanência se for de menor e que resida junto com os pais nikkei sansei.

A expectativa em torno do novo visto para yonsei é de que seja introduzido até o final deste ano fiscal, ou até março do ano que vem.
Fonte: Portal Mie com Jiji Press

recesso 2017
Atendimento do Departamento de Visto durante o recesso de final de ano (2017/2018)

O Consulado Geral do Japão em São Paulo estará fechado nos dias abaixo:

25 de dezembro (segunda-feira)            Natal
01 de janeiro (segunda-feira)
e                                                        Recesso
02 de janeiro (terça-feira)

 

Devido ao recesso de final de ano, o Setor de Visto seguirá o calendário abaixo com o intuito de evitar imprevistos como roubos ou perdas de passaportes.

28/12/2017 (quinta-feira) e 29/12/2017 (sexta-feira): somente retirada de visto (exceto casos de urgência).

Atendimento no horário normal a partir do dia 03/01/2018 (quarta-feira)

 

banner trabalho no japao

JET Programme
CIR (Coordinator for International Relations)
O Coordenador de Relações Internacionais (CIR, do inglês Coordinator for International Relations) é responsável pelas atividades de internacionalização e atua em repartições do governo local ou em entidades correlatas (contratantes).

jet programme2017

Atividades exercidas 
(O teor das atividades pode variar de acordo com a instituição contratante.)
– Aconselhar crianças brasileiras em escolas japonesas e prestar assistência a trabalhadores brasileiros residentes na região.
– Assessorar projetos relacionados às atividades de internacionalização realizadas pelo contratante. (Ex.: edição / tradução / supervisão de publicações em língua estrangeira; colaboração / auxílio nos programas de intercâmbio internacional; atuação como intérprete em visitas de estrangeiros e em eventos, etc.)
– Colaborar no ensino da língua estrangeira para a comunidade local e funcionários da instituição contratante.
– Auxiliar no planejamento e participar das atividades de grupos locais ou organizações envolvidas com o intercâmbio internacional.
– Assessorar e criar atividades de intercâmbio relacionadas à conscientização e à compreensão das culturas estrangeiras aos residentes locais; e suporte aos estrangeiros residentes.
– Outras responsabilidades definidas pelo contratante.

Entidades contratantes para o ano de 2018
– Cidade de Tokoname – Província de Aichi
– Cidade de Shinshiro – Província de Aichi

Requisitos
– Interesse claro pelo Japão e desejo de aprimorar os conhecimentos sobre o país. Estar motivado a participar de atividades de intercâmbio internacional na comunidade local.  Esforçar-se no estudo da língua japonesa e, ou, dar continuidade aos estudos da língua.
– Boa saúde física e mental.
– Capacidade de adaptação às condições de moradia e trabalho no Japão. Ter intenção de exercer o trabalho no período estipulado.
– Formação universitária ou conclusão até a data de partida a ser determinada pelo Governo Japonês. (Para os interessados na vaga de ensino de língua estrangeira, ter experiência, ou treinamento, de pelo menos 3 anos no Ensino Fundamental).
– Nacionalidade brasileira (Aquele que possui a dupla cidadania japonesa deverá renunciar à nacionalidade japonesa antes de assinar o Termo de Compromisso do JET Programme).
– Dominar a pronúncia, ritmo, entonação e expressão oral da língua portuguesa, além do domínio da gramática normativa e boa redação.
– Não ter participado do JET Programme após 2015 e caso tenha participado em anos anteriores, o período total de participação no programa deverá ser inferior a 5 anos.
– Não ser desistente do JET Programme em anos anteriores, após o recebimento da notificação do local de atuação. Contudo, poderá ser aberta uma exceção, caso seja constatado uma razão inevitável para a desistência.
– Até o momento da inscrição, não ter residido no Japão, após 2008, por mais de 06 anos totalizados.
– Estar motivado a iniciar e participar de atividades de intercâmbio internacional na comunidade local, após o término do programa.
– Para participar deste Programa, concordar que sua permanência (visto) no Japão seja da habilitação de permanência estipulado no Artigo 2-2 da Lei de Imigração e Reconhecimento de Refugiados.
– Respeitar as leis japonesas.
– Possuir fluência em língua japonesa (equivalente ao nível 1 ou 2 do Teste de Proficiência de Língua Japonesa (Nihongo Nouryoku-shiken)).

*Candidato deve ser residente e domiciliado na circunscrição do Consulado Geral do Japão em SP (SP, MT, MS e Região do Triângulo Mineiro); demais candidatos, consultar http://www.sp.br.emb-japan.go.jp/itpr_pt/Consulado.html

Inscrições
a) Período: 22 de novembro a 22 de dezembro de 2017

b) Documentos necessários:
(03 jogos de cada documento, sendo um de originais e dois de cópias)

Documento Original Cópia
1- Formulário de inscrição devidamente preenchido (Application Form)
* Tabela de códigos para o preenchimento do formulário (Chart Sheet)
1 2
2- Foto 3×4 (recente, últimos 6 meses) 3
3- Auto-avaliação médica (Self-Report of Medical Condition) 1 2
4- Duas cartas de recomendação, de instituições diferentes, em língua  japonesa ou inglesa
* Em papel timbrado da instituição.
* Para aquele que está no último ano da faculdade, uma das cartas deve ser de alguém relacionado à universidade, informando data prevista de término do curso.
1 de cada 2 de cada
5- Redação em língua japonesa
Tema: “O que me motiva a participar  do JET Programme”
* Anexar tradução em português
* Até 2 páginas, tamanho A4 digitadas em espaço duplo, 1 página por folha)
1 de cada 2 de cada
6- Histórico Escolar da Faculdade
* Anexar tradução em japonês ou inglês.
* Os não graduados devem apresentar um atestado com a data prevista de graduação.
* A tradução pode ser feita pelo próprio candidato.
1 cópia autenticada 2
7- Diploma de Graduação ou Atestado de Provável Formando
* Anexar tradução em japonês ou inglês.
* A tradução pode ser feita pelo próprio candidato.
1 cópia autenticada 2
8- Curriculum Vitae (em japonês ou inglês) 1 2
9- Documento de identidade, CPF e comprovante de residência 3 de cada
10- Comprovantes de testes de proficiência de língua japonesa, TEFL/TESL, habilitação de professor, etc.
(Somente os que possuem tais documentos)
3 de cada
11- Atestado de antecedentes criminais emitido pela Polícia Federal e pela Polícia Civil
(Somente para os que marcaram “sim” no item 23 do formulário de inscrição)
1 de cada 2 de cada

c) Local de Inscrição:
Os documentos dos candidatos residentes nos Estados de SP, MT, MS e região do Triângulo Mineiro devem ser entregues pessoalmente ou por correio no endereço abaixo: (Os documentos não serão devolvidos.)

Consulado Geral do Japão em São Paulo
A/C Departamento de Assuntos Culturais e de Imprensa – JET Programme
Av. Paulista, 854, 3º andar
CEP: 01310-913
São Paulo – SP

*Candidato deve ser residente e domiciliado na circunscrição do Consulado Geral do Japão em SP (SP, MT, MS e Região do Triângulo Mineiro);

Termos e condições de trabalho
O participante contratado pela repartição do governo local é considerado um funcionário público especial e a sua remuneração, a despesa da passagem aérea de ida-e-volta, entre outros benefícios são custeados pelo contratante.

O período do contrato, a princípio, é de um (1) ano. Havendo acordo entre o contratante e o participante, o contrato poderá ser renovado por até duas vezes. E, em casos especiais, por até quatro vezes.

Passagem aérea Passagem aérea de ida-e-volta
Horário de trabalho 35 horas semanais
(Normalmente, 02 dias de descanso – sábado e domingo)
(Podendo variar de acordo com o governo contratante)
Período do Contrato 01 ano
(A renovação do contrato poderá ser efetuada por até 02 vezes.)

Regulamento completo em japonês (clique aqui)

Mais informações:
Consulado Geral do Japão em São Paulo
Av. Paulista, 854 – 3° andar, SP (Departamento de Assuntos Culturais e de Imprensa)
Tel.: 11 3254-0100  | e-mail: cgjcultural4@sp.mofa.go.jp
Horário: Segunda a Sexta (exceto feriados) – das 09h00 às 12h00; e das 14h00 às 17h00

Condições como limite de idade e exigência do idioma japonês básico devem ser mantidas
visto yonsei7
O projeto de liberar visto para a 4ª geração de descendentes de japoneses está ganhando corpo no Ministério da Justiça do Japão. Nesta quinta-feira (19), uma reportagem do jornal Asahi confirmou que o sistema será criado ainda neste ano fiscal, que termina em março de 2018.

No entanto, as condições que já haviam sido anunciadas anteriormente serão mantidas. Os chamados “yonsei” ganharão a oportunidade de viver por até três anos no Japão e devem ter um conhecimento básico de japonês, suficiente para conversações diárias, leitura e escrita.

O novo sistema concederá autorização de permanência com possibilidade de trabalhar livremente e aceitará somente pessoas entre 18 e 30 anos. O visto deverá ser renovado uma vez ao ano, segunbdo o jornal.

O Ministério anunciou ainda que, antes de efetivar o sistema, irá iniciar uma pesquisa com a população sobre o assunto, para verificar o que a opinião pública tem a dizer sobre a liberação de vistos.

A proposta de ampliar o sistema de concessão de vistos para estrangeiros trabalhadores foi de iniciativa do Partido Liberal Democrata. O principal foco do governo é suprir a escassez de mão de obra no país, que está cada vez mais forte com o envelhecimento populacional.

Para o Ministério, a entrada de yonseis pode significar a construção de uma “ponte” de força humana, que irá ligar a comunidade de descendentes ao Japão.

No entanto, há preocupações quanto à possibilidade dos descendentes de 4ª geração se tornarem opções de mão de obra barata, parecido com o sistema de estágios do governo (Ginou Jisshu Seido/技能実習制度).

Em 2007, antes da crise provocada pela falência do banco americano Lehman Brothers, a comunidade de brasileiros e peruanos no Japão era de 364 mil pessoas e, hoje, este número está em 222 mil pessoas.

De acordo com a reportagem, o efeito da crise na comunidade reforça opiniões de que os descendentes podem ser contratados como mão de obra barata em tempos de prosperidade e se tornarem focos de demissão em períodos de crise.

A liberação de vistos para yonseis pode ser a realização de um sonho para muitos jovens que estão esperando uma oportunidade no Brasil. No entanto, a forma como está sendo conduzida pelo governo é motivo de críticas dentro da comunidade e também por especialistas.

A professora da universidade Kokushikan de Tóquio, Eriko Suzuki, que conduz pesquisas relacionadas a problemática da contratação de estrangeiros, considerou como “estranho” as condições propostas pelo governo.

“Se for para aceitar a quarta geração com base na ideia de que são pessoas conectadas aos japoneses, é muito estranho que haja condições como saber japonês. Eles deveriam receber o mesmo tratamento da 2ª e 3ª gerações”, comentou.

O governo espera que, após a liberação dos vistos com as atuais condições propostas, o país receba mais de mil descendentes de 4ª geração por ano.

No entanto, segundo uma pesquisa do Centro de Estudos Nipo-Brasileiros, apenas no Brasil há pelo menos 159 mil yonseis e muitas pessoas com interesse em vir ao Japão poderão não se encaixar nas condições.
Fonte: Alternativa

Aos cidadãos brasileiros que vão viajar ao Japão (os consulados do Japão no Brasil estão emitindo o visto de múltiplas entradas com a finalidade de curta permanência, com período máximo de permanência de até 90 dias e validade de até 3 anos)

visto japao multiplas entradas

Os cidadãos brasileiros que desejam viajar ao Japão podem solicitar o visto com a finalidade de curta permanência de: uma entrada, duas entradas ou de múltiplas entradas.

Conforme o resultado da negociação entre os Governos do Japão e do Brasil, a Embaixada do Japão, os Consulados-gerais e os Escritórios Consulares do Japão no Brasil estão emitindo os vistos de múltiplas entradas com a finalidade de curta permanência, com período máximo de permanência de até 90 dias e validade de até 3 anos, desde que atendam os requisitos necessários para a emissão.

Caso houver interesse, informe-se sobre os documentos necessários. (clique no link abaixo):
Visto de múltiplas entradas
Visto de uma ou duas entradas

Valores das taxas de visto (válido até o dia 31 de março de 2018)
– Visto de uma entrada: R$97,00
– Visto de duas entradas: R$194,00
– Visto de múltiplas entradas: R$194,00
Fonte: Consulado Geral do Japão em São Paulo

visa yonsei
O Jornal de maior tiragem do mundo, o Yomiuri Shinbun, com sede em Tóquio, noticiou no dia 31 de julho último, que o Ministério da Justiça do Japão definiu as regras básicas para concessão de vistos de permanência e trabalho aos nikkeis da quarta geração, os “yonseis”.

As regras são surpreendentemente muito mais rígidas que as anunciadas pelo deputado federal Mikio Shimoji do Partido de Renovação do Japão (Nihon Ishin no Kai) em São Paulo no dia 21 de julho último, na sede do Bunkyo (Associação Cultural Brasil Japão).

Ao contrário do que disse o deputado Mikio em São Paulo, o descendente de japonês da quarta-geração não poderá levar o seu cônjuge não-nikkei, nem os seus filhos ao Japão. Haverá uma restrição da faixa etária, pois os vistos só serão concedidos a yonseis de 18 a 30 anos de idade.

Além disso, o nikkei da quarta-geração terá que ser aprovado em um teste de proficiência da língua japonesa, equivalente ao N4 (yon-kyu) da Avaliação da Proficiência da Língua Japonesa (Nihongo Kentei). O Nível 4 do Nihongo Kentei equivale a capacidade de manter uma conversação básica e simples da língua japonesa para o dia-a-dia.

Para requerer a renovação do visto, ele terá que ser aprovado em um teste de N3 (san-kyu) da Proficiência da Língua Japonesa, que já requer uma capacidade de expressão mais complexa para a conversação utilizada no cotidiano.

O visto terá o status de “atividades especiais” (Tokutei Katsudou) e permitirá ao portador do visto, trabalhar no Japão sem restrições de número de horas por semana ou tipo de serviço.

A princípio, o Ministério da Justiça definiu o número de concessão de vistos a 1.000 (um mil) por ano. O governo vai abrir as regras gerais que definiu para “comentários públicos” (public comment) e só então definirá a forma final do texto do novo sistema.

Atualmente, o yonsei só tem visto garantido para permanência no Japão enquanto for dependente dos seus pais que estiverem com visto de permanência no Japão.

A Comunidade Nikkei, que havia alimentado as melhores expectativas após a palestra proferida pelo Deputado Federal Mikio Shimoji, que viajou ao Brasil especificamente para este fim, e pedir uma estreita colaboração da comunidade japonesa no Brasil para ajudar a resolver o grave problema de escassez de mão de obra no Japão, não consegue esconder o desapontamento com a notícia da definição do novo sistema de concessão de vistos para os nikkeis de quarta-geração, por demais diferentes do que foi prometido pelo Deputado Shimoji.

Muitos yonseis que esperavam poder vir ao Japão trabalhar, ainda este ano, frente as grandes dificuldades político-econômicas pelos quais o Brasil está passando, vai ter que esperar para ver o resultado da fase de comentários públicos ao novo sistema.
Fonte: IPC Digital

Visto para quarta geração de descendentes, a solução está próxima?
Visto-Yonsei

O visto para yonsei será o tema mais importante que definirá as relações entre o Brasil e o Japão nos próximos 50 anos. Em junho de 1990, o Departamento da Justiça do Japão modificou a Lei de Controle de Imigração, facilitando assim as condições de residência dos nissei e sansei.

Contudo, ainda há um problema a ser resolvido: o visto para yonsei. Mesmo os yonseis que estudaram em escolas japonesas e tiveram uma vida igual a de um japonês enfrentam o problema da possibilidade de perder o visto de residência quando atingem a maioridade.

Autoridades do Ministério das Relações Exteriores do Japão haviam explicado previamente que “caso as gerações de yonsei ou posteriores realizem os procedimentos adequadamente, eles poderão continuar vivendo no Japão”. Porém, segundo as empreiteiras e os próprios yonsei, a situação não é bem assim.

Por exemplo, há casos em que é necessário a aprovação dos pais para a atualização do visto de permanência no Japão. Entretanto, caso haja o afastamento dos pais devido a certas circunstâncias como brigas familiares, prisão ou falecimento do (a) pai (mãe) ou de ambos, há a possibilidade do visto não ser atualizado por causa da ausência da aprovação dos pais. Será que não seria necessária alguma medida para ajudar o problema familiar nessas situações?

Além disso, as gerações nascidas e criadas no Japão acabaram crescendo no país com a mentalidade de um japonês, mesmo com a diferença de nacionalidade. Há casos em que é muito difícil para o “maior de idade” voltar para sua “pátria amada”. Mas será que não era melhor ter alguma forma de ajuda aos yonseis que voltaram para seu país de origem e não estão mais dentro do período de readmissão?

Em relação a esses problemas, a Working Holiday pode ajudar um pouco a situação dos yonseis. O divisor de águas do problema do visto para yonsei foi o “Relatório de Reunião Social de Peritos sobre a Cooperação com a Sociedade Nikkei na América Central e do Sul”, apresentada em 9/mar. O relatório apresenta diretrizes nunca antes discutidas.

Nos próximos 50 anos, os pilares do intercâmbio cultural entre o Japão e o Brasil serão, sem dúvidas, os sansei e yonsei. Se estas gerações criadas no Japão servirem de “ponte”, podemos esperar um intercâmbio cultural nunca antes visto. No próximo ano, em que se comemorará 110 anos de imigração, poderá ser o último projeto de comemoração para as gerações convencionais.

A partir do 120º ano de comemoração, o foco principal poderá se voltar aos “novos nikkei” criados no Japão. Os próximos 10 anos serão importantes como “período de troca”.

Todavia, apenas vagas de empregos em fábricas podem gerar uma repulsa pelo Japão. É necessária a elaboração de novas medidas que impeçam os yonsei acabarem “odiando” o Japão.

Na “Proposta voltada à Construção da Sociedade Ativa dos 100 milhões”, publicada em 10/mar por grupos do Partido Liberal Democrata do Japão, estão escritas propostas bem concretas como as seguintes:

“(1) – Antes do estágio de aceitação dos yonsei no Japão, será estipulada a manutenção de um ambiente de educação da língua e cultura japonesa no país atual.

(2) – Será estabelecido um sistema tal como o ‘novo Working Holiday’ para os yonsei aprenderam a língua e a cultura japonesa. Por exemplo, o aprendizado da língua japonesa por 2 anos sem a restrição de horários de trabalho será uma obrigação, e os governos locais ou a própria região deverão fornecer um ambiente favorável.

(3) – Em relação ao status de residência futura dos yonsei, sob o ‘novo Working Holiday’, serão abertas discussões enquanto ocorrerá a confirmação do estado de implementação.”

Analisando estas observações, o que está sendo discutido é uma estada temporária de 2 anos e não a liberação de vistos especiais, que poderão se tornar vistos permanentes futuramente.

Na noite de sexta-feira à noite (Brasil), ocorreu a sessão de briefing “A comunidade nikkei e o novo papel da quarta geração” de Mikio Shimoji, membro da Casa dos Representantes.Os assuntos acima foram discutidos, e foi anunciado medidas sólidas para liberação do visto ainda em 2017. Iremos publicar uma nova matéria em breve com os detalhes e o resultado final.

A live foi transmitida no Facebook, veja abaixo:

Fonte: Portal Mie com Nikkey Shimbun

Sabia que em alguns os casos descendentes de japonês de quarta geração (yonsei) podem subir uma geração e se tornar terceira (sansei)?

SANSEI OU YONSEI

Existe muita especulação em cima da liberação do visto de longa permanencia para quem é descendente de japonês de quarta geração, porém existem casos em que este descendente mesmo sendo (yonsei)  se torna sansei, ou seja, elegível ao tão sonhado visto de trabalho no Japão, mas não existe quase nenhuma informação sobre isso.

  • A primeira possibilidade é para quem tem os avôs que nasceram no Brasil até novembro de 1924 sendo filho de japonês nato pode pedir ao consulado para “subir uma geração”. (explicarei detalhes em outro post)

  • A segunda posssibilidade é quem tem o avô ou avó que mesmo sendo nascido no Brasil depois da data acima, mas que tenha sido registrado no Consulado do Japão no Brasil até três meses após o nascimento, pode ser considerado sansei, por que? Porque todo filho de japonês nascido no brasil e registrado no consulado até três meses após o nascimento se torna dupla nacionallidade, fazendo com que o yonsei se torne, sansei.

Claro que para se conseguir transformar a sua geração em sansei tem que começar a mexer em documentos e isso gera custos, por isso, se informe primeiro antes de sair gastanto dinheiro sem garantias de resultado positivo.

Boa sorte

Cori Passos
cori@vistojapones.com.br

WP_20170401_09_25_49_Pro (2)

O partido liberal democratico através do Sr. Jiro Kawasaki ex-ministro do trabalho e saúde, que atualmente lida no setor de incentivo de mão de obra no Japão, entregou ao Sr. Kato Katsunobu, atual ministro do trabalho japonês, uma proposta para que o yonsei (descendentes de quarta geração) possa ter a oportunidade de trabalhar no Japão bem como a expansão das oportunidades de emprego para os idosos. O Japão esta aumentando constantemente  a quantidade de idosos e a taxa de natalidade vem diminuindo o que acaba envelhecendo a população.

Brasil, Peru e outros paises da américa, conseguem enviar os nisseis e sanseis para trabalhar, ter residência no Japão, mas para o yonsei tem sido dificil conseguir. Portanto estão querendo criar um sistema para que o yonsei possa ter o visto de trabalho e não apenas de estudo ou acompnhando os pais como é atualmente, e ainda discutir expansoes sobre isso.

Hoje o mercado de trabalho no Japão ainda consegue colocar pessoas de até 70 anos para trabalhar, e esta proposta solicita que as vagas disponiveis seja tambem para pessoas acima de 71 anos de idade e que tenha boa saúde, e ainda que o Certificado de Elegibilidade (zairyushikaku nintei shomeisho), seja expandido para mais setores tudo para que tenha mais pessoas produzindo no Japão.

by Daisuke Hirabayashi
Asahi Shimbun
Link original da matéria: http://www.asahi.com/articles/ASK5C5GVQK5CULFA01V.html

NISSEI – filho de japonês
SANSEI – neto de japonês
YONSEI – bisneto de japonês

Categorias

twitter.com/vistojapones

janeiro 2018
S T Q Q S S D
« dez    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031