Decisão será tomada pelo governo japonês até início de abril.
Caso isso ocorra, consulado deverá ser fixado em Manaus.

bandeira brasil_japaoO Consulado do Japão, instalado em Belém há quase 80 anos, pode ser transferido para Manaus, no Amazonas, mesmo o Pará tendo a terceita maior colônia de japonesa do Brasil. O Congresso Nacional do Japão estuda a possibilidade de retirar o consulado no Pará e transformar o órgão em um escritório.

O objetivo do governo japonês é reduzir gastos financeiros. Caso a mudança aconteça, serviços de retirada de vistos e passaportes vão continuar sendo oferecidos. Mas o representante político do Japão, o cônsul-geral, não terá mais residência fixa no estado.

"O serviço que a gente oferece não vai mudar, mas com a perda do cônsul-geral nossa influência pode ser minimizada", diz Rei Oiwa, cônsul-geral adjunto.

Atualmente, cerca de 30 mil pessoas, entre descendentes e nascidos no Japão, vivem no Pará, número que faz o estado ter a terceira maior população de nipônicos no país, atrás apenas de São Paulo e Paraná.

Por causa disso, um grupo de parlamentares chegou a entrar na discussão e enviou um pedido para o primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, para que o consulado não seja retirado do estado, devido aos serviços prestados aos imigrantes, não só do Pará, mas também do Maranhão, Amapá e Piauí.

O senador Flexa Ribeiro (PMDB) assinou o documento e lembra da importância história do Japão para o estado, incluse no financiamento de grandes obras, como parte do BRT, em Belém.

"Nós temos uma relação que justifica o consulado ser aqui. É uma relação mais próxima dos imigrantes, da colônia japonesa, com um órgão de decisão política, administrativa e executiva do Japão, que é o consulado", disse o senador.

A decisão do governo japonês deve sair até o início de abril. Caso seja transferido o consulado, toda documentação para conseguir  visto terá que ser enviada para o estado vizinho e processo poderá ficar mais demorado.
Fonte: G1