Prefeito de Ota diz que vai faltar mão de obra nas fábricas.

Prefeito Masayoshi ShimizuA cidade de Ota, em Gunma, vai pedir em outubro ao governo central para moderar a Lei de Imigração para atrair mais imigrantes para a cidade, disse o prefeito, Masayoshi Shimizu.

Segundo o jornal Mainichi, um dos motivos é o retorno maciço dos brasileiros após a crise financeira em 2008. Atualmente moram em Ota 2752 brasileiros, mas em março de 2009 eram 4.043 pessoas.

Além disso, outra política que provocou despovoamento acelerado de estrangeiros ocorreu em abril de 2009, quando o governo japonês começou a dar 300.000 ienes (US $ 3.000) para nikkeis brasileiros e peruanos que queriam voltar para seu país de origem. Com esta política, chamado de Ajuda para o Retorno, ou Kikoku Shien, 21.675 pessoas deixaram o Japão até abril de 2010. O governo japonês gastou cerca de US$ 70 milhões, segundo o relatório do Ministério do Trabalho, responsável pela "ajuda".

O plano do prefeito Shimizu é criar uma área especial na cidade, onde os imigrantes ou estudantes estrangeiros possam trabalhar fora das áreas permitidas por cada tipo de visto.

"O governo central quer incentivar as empresas a investir mais em máquinas e equipamentos no Japão, mas não há um número suficiente de trabalhadores disponíveis. O Governo deve pensar em garantir a mão de obra no país", disse Shimizu.

Ota faz parte do grupo de Cidades com maior imigrantes ou Gaikokujin Shuju Toshi Kaigi, cuja próxima reunião será realizada em novembro.
Fonte: IPC Digital