A partir de 13 de outubro todas as pessoas que voltaram com a ajuda do governo japonês só poderão solicitar o visto com tradução, encarecendo assim a  solicitação de visto.

 

WP_20160317_15_50_55_Pro

A partir de meados de outubro de 2016  consulado japonês de São Paulo pede que as pessoas que pegaram ajuda do governo no período da crise financeira mundial, que pretendem solicitar o visto no Consulado Geral do Japão em São Paulo, solicite as traduções de suas certidões de nascimento, casamento, óbito etc. na hora de requerer o visto japonês.

Essa medida de solicitar tradução para os documentos abrange apenas as pessoas que pegou ajuda do governo japonês, não sei qual é a diferença para a pessoa que pegou ajuda da pessoa que não pegou ajuda do governo porque que para alguns precisa ter a tradução e para outros não precisa?

Uma injustiça é o consulado solicitar antecedentes criminais para quem pegou ajuda do governo, independente de ser nissei ou sansei e já para quem não pegou ajuda o consulado só solicita para quem é a terceira geração fica parecendo que quanto mais longe da descendência japonesa a probabilidade é maior da pessoa cometer algum crime.

Acredito que o consulado poderia entender que as pessoas que solicitam visto japonês estão indo para o Japão “na sua grande maioria” em busca de recursos financeiros melhores que o Brasil não consegue oferecer. Em busca de boas oportunidades de emprego. Isso faz com que o perfil de cada cidadão que solicitar o visto não seja de nenhum abastado a pessoa está indo para lá em busca de recursos então essa medida acaba fazendo o requerente de visto gastar dinheiro que eles não tem, encarecendo assim a sua viagem e quando cair na mão de algum intermediário (agenciadores/promotores) esse valor aumentará exponencialmente afinal de contas as traduções feitas por terceiros não saem baratas.

De qualquer forma será necessário fazer e todos terão que se adaptar.

CLIQUE AQUI PARA VER O COMUNICADO OFICIAL DO CONSULADO (JP)

Cori