You are currently browsing the category archive for the ‘Consulado do Japão’ category.

JET Programme
CIR (Coordinator for International Relations)
O Coordenador de Relações Internacionais (CIR, do inglês Coordinator for International Relations) é responsável pelas atividades de internacionalização e atua em repartições do governo local ou em entidades correlatas (contratantes).

jet programme2017

Atividades exercidas 
(O teor das atividades pode variar de acordo com a instituição contratante.)
– Aconselhar crianças brasileiras em escolas japonesas e prestar assistência a trabalhadores brasileiros residentes na região.
– Assessorar projetos relacionados às atividades de internacionalização realizadas pelo contratante. (Ex.: edição / tradução / supervisão de publicações em língua estrangeira; colaboração / auxílio nos programas de intercâmbio internacional; atuação como intérprete em visitas de estrangeiros e em eventos, etc.)
– Colaborar no ensino da língua estrangeira para a comunidade local e funcionários da instituição contratante.
– Auxiliar no planejamento e participar das atividades de grupos locais ou organizações envolvidas com o intercâmbio internacional.
– Assessorar e criar atividades de intercâmbio relacionadas à conscientização e à compreensão das culturas estrangeiras aos residentes locais; e suporte aos estrangeiros residentes.
– Outras responsabilidades definidas pelo contratante.

Entidades contratantes para o ano de 2018
– Cidade de Tokoname – Província de Aichi
– Cidade de Shinshiro – Província de Aichi

Requisitos
– Interesse claro pelo Japão e desejo de aprimorar os conhecimentos sobre o país. Estar motivado a participar de atividades de intercâmbio internacional na comunidade local.  Esforçar-se no estudo da língua japonesa e, ou, dar continuidade aos estudos da língua.
– Boa saúde física e mental.
– Capacidade de adaptação às condições de moradia e trabalho no Japão. Ter intenção de exercer o trabalho no período estipulado.
– Formação universitária ou conclusão até a data de partida a ser determinada pelo Governo Japonês. (Para os interessados na vaga de ensino de língua estrangeira, ter experiência, ou treinamento, de pelo menos 3 anos no Ensino Fundamental).
– Nacionalidade brasileira (Aquele que possui a dupla cidadania japonesa deverá renunciar à nacionalidade japonesa antes de assinar o Termo de Compromisso do JET Programme).
– Dominar a pronúncia, ritmo, entonação e expressão oral da língua portuguesa, além do domínio da gramática normativa e boa redação.
– Não ter participado do JET Programme após 2015 e caso tenha participado em anos anteriores, o período total de participação no programa deverá ser inferior a 5 anos.
– Não ser desistente do JET Programme em anos anteriores, após o recebimento da notificação do local de atuação. Contudo, poderá ser aberta uma exceção, caso seja constatado uma razão inevitável para a desistência.
– Até o momento da inscrição, não ter residido no Japão, após 2008, por mais de 06 anos totalizados.
– Estar motivado a iniciar e participar de atividades de intercâmbio internacional na comunidade local, após o término do programa.
– Para participar deste Programa, concordar que sua permanência (visto) no Japão seja da habilitação de permanência estipulado no Artigo 2-2 da Lei de Imigração e Reconhecimento de Refugiados.
– Respeitar as leis japonesas.
– Possuir fluência em língua japonesa (equivalente ao nível 1 ou 2 do Teste de Proficiência de Língua Japonesa (Nihongo Nouryoku-shiken)).

*Candidato deve ser residente e domiciliado na circunscrição do Consulado Geral do Japão em SP (SP, MT, MS e Região do Triângulo Mineiro); demais candidatos, consultar http://www.sp.br.emb-japan.go.jp/itpr_pt/Consulado.html

Inscrições
a) Período: 22 de novembro a 22 de dezembro de 2017

b) Documentos necessários:
(03 jogos de cada documento, sendo um de originais e dois de cópias)

Documento Original Cópia
1- Formulário de inscrição devidamente preenchido (Application Form)
* Tabela de códigos para o preenchimento do formulário (Chart Sheet)
1 2
2- Foto 3×4 (recente, últimos 6 meses) 3
3- Auto-avaliação médica (Self-Report of Medical Condition) 1 2
4- Duas cartas de recomendação, de instituições diferentes, em língua  japonesa ou inglesa
* Em papel timbrado da instituição.
* Para aquele que está no último ano da faculdade, uma das cartas deve ser de alguém relacionado à universidade, informando data prevista de término do curso.
1 de cada 2 de cada
5- Redação em língua japonesa
Tema: “O que me motiva a participar  do JET Programme”
* Anexar tradução em português
* Até 2 páginas, tamanho A4 digitadas em espaço duplo, 1 página por folha)
1 de cada 2 de cada
6- Histórico Escolar da Faculdade
* Anexar tradução em japonês ou inglês.
* Os não graduados devem apresentar um atestado com a data prevista de graduação.
* A tradução pode ser feita pelo próprio candidato.
1 cópia autenticada 2
7- Diploma de Graduação ou Atestado de Provável Formando
* Anexar tradução em japonês ou inglês.
* A tradução pode ser feita pelo próprio candidato.
1 cópia autenticada 2
8- Curriculum Vitae (em japonês ou inglês) 1 2
9- Documento de identidade, CPF e comprovante de residência 3 de cada
10- Comprovantes de testes de proficiência de língua japonesa, TEFL/TESL, habilitação de professor, etc.
(Somente os que possuem tais documentos)
3 de cada
11- Atestado de antecedentes criminais emitido pela Polícia Federal e pela Polícia Civil
(Somente para os que marcaram “sim” no item 23 do formulário de inscrição)
1 de cada 2 de cada

c) Local de Inscrição:
Os documentos dos candidatos residentes nos Estados de SP, MT, MS e região do Triângulo Mineiro devem ser entregues pessoalmente ou por correio no endereço abaixo: (Os documentos não serão devolvidos.)

Consulado Geral do Japão em São Paulo
A/C Departamento de Assuntos Culturais e de Imprensa – JET Programme
Av. Paulista, 854, 3º andar
CEP: 01310-913
São Paulo – SP

*Candidato deve ser residente e domiciliado na circunscrição do Consulado Geral do Japão em SP (SP, MT, MS e Região do Triângulo Mineiro);

Termos e condições de trabalho
O participante contratado pela repartição do governo local é considerado um funcionário público especial e a sua remuneração, a despesa da passagem aérea de ida-e-volta, entre outros benefícios são custeados pelo contratante.

O período do contrato, a princípio, é de um (1) ano. Havendo acordo entre o contratante e o participante, o contrato poderá ser renovado por até duas vezes. E, em casos especiais, por até quatro vezes.

Passagem aérea Passagem aérea de ida-e-volta
Horário de trabalho 35 horas semanais
(Normalmente, 02 dias de descanso – sábado e domingo)
(Podendo variar de acordo com o governo contratante)
Período do Contrato 01 ano
(A renovação do contrato poderá ser efetuada por até 02 vezes.)

Regulamento completo em japonês (clique aqui)

Mais informações:
Consulado Geral do Japão em São Paulo
Av. Paulista, 854 – 3° andar, SP (Departamento de Assuntos Culturais e de Imprensa)
Tel.: 11 3254-0100  | e-mail: cgjcultural4@sp.mofa.go.jp
Horário: Segunda a Sexta (exceto feriados) – das 09h00 às 12h00; e das 14h00 às 17h00

Anúncios

Aos cidadãos brasileiros que vão viajar ao Japão (os consulados do Japão no Brasil estão emitindo o visto de múltiplas entradas com a finalidade de curta permanência, com período máximo de permanência de até 90 dias e validade de até 3 anos)

visto japao multiplas entradas

Os cidadãos brasileiros que desejam viajar ao Japão podem solicitar o visto com a finalidade de curta permanência de: uma entrada, duas entradas ou de múltiplas entradas.

Conforme o resultado da negociação entre os Governos do Japão e do Brasil, a Embaixada do Japão, os Consulados-gerais e os Escritórios Consulares do Japão no Brasil estão emitindo os vistos de múltiplas entradas com a finalidade de curta permanência, com período máximo de permanência de até 90 dias e validade de até 3 anos, desde que atendam os requisitos necessários para a emissão.

Caso houver interesse, informe-se sobre os documentos necessários. (clique no link abaixo):
Visto de múltiplas entradas
Visto de uma ou duas entradas

Valores das taxas de visto (válido até o dia 31 de março de 2018)
– Visto de uma entrada: R$97,00
– Visto de duas entradas: R$194,00
– Visto de múltiplas entradas: R$194,00
Fonte: Consulado Geral do Japão em São Paulo

recesso-final-e-comeco-do-ano

Informamos que não haverá expediente no Consulado Geral do Japão em São Paulo nas seguintes datas:

Dezembro 2016

23 (sexta-feira):  Aniversário do Imperador

29 (quinta-feira):  Feriado de Fim de Ano

30 (sexta-feira):  Feriado de Fim de Ano

  Janeiro 2017

01 (domingo):  Ano Novo

02 (segunda-feira):  Feriado de Começo de Ano

O atendimento normal será a partir do dia 03/01/2017 (terça-feira).

recesso 2015

Informamos que o Consulado Geral do Japão em São Paulo estará fechado nos seguintes dias:

  Dezembro/2015

  24 (Quinta-feira)     Véspera de Natal

  25 (Sexta-feira)       Natal

  29 (Terça-feira)       Recesso de fim de ano

  30 (Quarta-feira)     Recesso de fim de ano

  31 (Quita-feira)       Recesso de fim de ano

  Janeiro/2016

  01 (Sexta-feira)      Feriado de começo do ano

Voltará ao atendimento normal a partir do dia 04/01/2016 (Segunda-feira).

Mais informações, favor entrar em contato com o Consulado Geral do Japão em São Paulo, tel.: (11) 3254-0100.
shigoto.com.br
visto japones, emprego no japao, turismo e passagem para o japao

O Consulado Geral do Japão em São Paulo estará fechado nos dias abaixo:

25 de dezembro de 2013

30 de dez 2013 a 03 de janeiro 2014

Natal

Recesso

Devido ao recesso de final de ano, o Setor de Visto seguirá o calendário abaixo com o intuito de evitar imprevistos como roubos ou perdas de passaportes.

  • 24/12/2013(Ter): somente retirada de visto
  • 26/12/2013(Qui) ~ 27/12/2013(Sex): atendimento somente para casos de urgência
  • Atendimento no horário normal a partir do dia 06/01/2014 (segunda-feira)

Comunicado sobre alteração do horário de atendimento do Consulado do Japão em São PauloComunicado sobre alteração do horário de atendimento

O Consulado do Japão em São Paulo comunica que a partir do dia 18 de novembro (segunda-feira), o horário de atendimento para solicitações de visto será alterado.

Solicitação de visto (particular)
Segunda, quarta e sexta-feira (exceto feriados locais e especiais): das 9:00 às 12:00
(Terça e quinta-feira, atendimento somente de agências cadastradas)

Não haverá alteração no horário de retirada de passaporte.
Segunda à sexta-feira: das 14:00 às 16:00

Mais informações: Tel.: (11) 3254-0100

No início do ano houve a possibilidade do Consulado ser extinto.
Decisão de manter entidade foi divulgada nesta terça-feira, 17.

Governo do Japão manterá representação consular no ParáApós ter sido divulgada a possibilidade que o Consulado Geral em Belém poderia ser extinto, o governo japonês disse nesta terça-feira (17) que a entidade será mantida na capital paraense. A decisão pela manutenção do consulado foi comunicada ao vice-governador Helenilson Pontes pelo vice-ministro de Negócios Estrangeiros do Japão, Kenta Wakabayashi, que está visitando o Pará.

O vice-ministro relatou o recebimento da carta oficial enviada por Helenilson solicitando o não fechamento da representação consular no Pará, onde, segundo estimativas, quase 35 mil pessoas façam parte da colônia japonesa. Com a decisão, o consulado segue funcionando normalmente na capital paraense, subordinado à unidade de Brasília.

Helenilson Pontes aproveitou a visita de Kenta Wakabayashi para informar que o governo paraense está procurando parceiro privado para construção de um porto em Santarém , no oeste do estado, estrutura necessária para as operações do entreposto da Zona Franca de Manaus no município paraense que será instalado naquele município. Segundo Helenilson, a criação do entreposto beneficiará diretamente as empresas japonesas que se utilizam dos rios amazônicos para o transporte de seus produtos e insumos.

“Em alguns períodos do ano os navios são impedidos de navegar por causa da seca dos rios, o que encarece o transporte de produtos. A criação do entreposto irá beneficiar diretamente as empresas japonesas instaladas no polo industrial de Manaus", argumentou o vice-governador. Kenta Wakabayashi ouviu atentamente a proposta e comentou que o governo japonês tem interesse na criação de novas rotas de navegação pelo norte da América, continente asiático e rios da Amazônia. “Levaremos a proposta de criação do entreposto para mostrar a empresas privadas japonesas que possam ter interesse em investir no projeto”, comentou.

Segundo dados do consulado japonês no Amazonas, a Zona Franca de Manaus abriga cerca de 35 empresas japonesas responsáveis por 25% da estrutura e 20% dos empregos de todo o Polo Industrial de Manaus, onde gigantes como Sanyo, Sony, Panasonic e Pioneer, Honda e Yamaha ainda são ainda as maiores investidoras, com US$ 2,917 bilhões.

Estavam presentes  na audiência oficial com o vice-ministro japonês, o cônsul geral do Japão, Yukio Numata, e o diretor geral do Núcleo de Gerenciamento do Transporte Metropolitano (NGTM), Cesar Meira. A parceria entre o governo do Estado e a Agência Internacional do Japão (Jica) garantiu empréstimo integral do valor de R$ 320 milhões para a execução das obras do Ação Metrópole.
Fonte: G1

Decisão será tomada pelo governo japonês até início de abril.
Caso isso ocorra, consulado deverá ser fixado em Manaus.

bandeira brasil_japaoO Consulado do Japão, instalado em Belém há quase 80 anos, pode ser transferido para Manaus, no Amazonas, mesmo o Pará tendo a terceita maior colônia de japonesa do Brasil. O Congresso Nacional do Japão estuda a possibilidade de retirar o consulado no Pará e transformar o órgão em um escritório.

O objetivo do governo japonês é reduzir gastos financeiros. Caso a mudança aconteça, serviços de retirada de vistos e passaportes vão continuar sendo oferecidos. Mas o representante político do Japão, o cônsul-geral, não terá mais residência fixa no estado.

"O serviço que a gente oferece não vai mudar, mas com a perda do cônsul-geral nossa influência pode ser minimizada", diz Rei Oiwa, cônsul-geral adjunto.

Atualmente, cerca de 30 mil pessoas, entre descendentes e nascidos no Japão, vivem no Pará, número que faz o estado ter a terceira maior população de nipônicos no país, atrás apenas de São Paulo e Paraná.

Por causa disso, um grupo de parlamentares chegou a entrar na discussão e enviou um pedido para o primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, para que o consulado não seja retirado do estado, devido aos serviços prestados aos imigrantes, não só do Pará, mas também do Maranhão, Amapá e Piauí.

O senador Flexa Ribeiro (PMDB) assinou o documento e lembra da importância história do Japão para o estado, incluse no financiamento de grandes obras, como parte do BRT, em Belém.

"Nós temos uma relação que justifica o consulado ser aqui. É uma relação mais próxima dos imigrantes, da colônia japonesa, com um órgão de decisão política, administrativa e executiva do Japão, que é o consulado", disse o senador.

A decisão do governo japonês deve sair até o início de abril. Caso seja transferido o consulado, toda documentação para conseguir  visto terá que ser enviada para o estado vizinho e processo poderá ficar mais demorado.
Fonte: G1

Desde abril de 2009 quando o governo japonês começou a conceder ajuda aos brasileiros e peruanos que estavam sofrendo com a falta de emprego no Japão, no período da grande crise mundial, muitos esfregaram as mãos de felicidade por ter conseguido auxilio para comprar a passagem para si e sua família e retornar ao Brasil com este benefício do governo japonês. Mas esta alegria durou pouco, pois assim que chegaram ao Brasil, todos se viram com uma nova e dura realidade, vida nova, pouco dinheiro no bolso (ou quase nenhum) e um mercado de trabalho duvidoso, sem mão de obra suficiente para absorver todos que retornaram com poucas esperanças.

kikokushienjigyoo

A ajuda foi desenvolvida com o propósito de dar oportunidade de o estrangeiro que estava em dificuldades retornar à sua pátria sem arcar com os próprios custos e condição de retornar ao Japão apenas 3 anos após por os pés Brasil, caso a economia melhorasse o governo divulgaria que poderiam retornar ao Japão, caso fosse a economia mais prejudicada, prorrogariam este prazo indeterminadamente, e é o que tem sido feito até então, prorrogar, prorrogar, prorrogar…

Em abril de 2012 comentou-se da possibilidade de o voltar a ser liberado devido completar os três anos da concessão da ajuda e disso não passou, de comentários apenas  e até o momento não foi liberado nada, recentemente o consulado japonês de Belém no Pará comentou que liberaria o visto para quem pegou ajuda com uma consulta prévia ao Japão e com esta informação obtida pessoalmente no próprio guichê do consulado, um beneficiado com a ajuda muniu-se de  todos os documentos necessários e foi ao consulado solicitar o visto, porem para a surpresa do mesmo, depois do tempo previsto o seu visto foi negado, não sabe ele porque, pois já havia mandado a esposa e filha ao Japão e estava apenas esperando o seu visto sair para começar a sonhar com o reencontro com a família, com o visto negado por seis meses, não tem muita coisa à fazer a não ser mudar completamente os seus planos, ficar no Brasil e tentar a vida aqui separado da família ou pedir para a família voltar sem perspectiva alguma de uma vida melhor.

Esta situação está se prolongando além da conta, o governo japonês poderia liberar a menos as pessoas que esta completando os três anos prometido para ir recolocando o pessoal aos poucos e aliar ânimos de alguns, afinal, será que o governo japonês ira conseguir recolocar todos de uma vez se resolver liberar a re entrada de todo mundo junto?

Cori Passos

27/12/2016 – Nesta terça-feira não haverá liberação de visto para o Japão de sansei (pessoas da terceira geração) no consulado japonês de São Paulo. Por favor, não comprem passagem  nem firmem compromisso com o Japão antes de ter o passaporte com o seu visto japonês visto em mãos. O consulado esta atrasando emissão constatemente, como se todos não contassem com esta liberação na data programada.

O consulado japonês de São Paulo banner visto sanseiesta demorando para entregar o visto para quando o descendente é sansei (terceira geração), até meados de maio de 2012 eles estavam atrasando uma ou duas semanas a devolução do passaporte e isso chegou a ser resolvido, em meados de junho, porém em julho a quantidade de vistos que o consulado esta demorando para entregar é bastante grande.

  Temos recebido ligações de passageiros que solicitaram visto japonês por  meio de agências ou promotores de sua confiança que não tem mais o que responder devido a demora na entrega do referido visto, e alguns comentam que chegam a ligar no consulado para obter uma resposta mas o consulado informa que não tem posição sobre o assunto, algumas pessoas chegaram a comentar que tem alguma ligação com a  ajuda que o governo japonês deu na época da crise financeira mundial, e acreditam que o consulado esta averiguando a situação dessas pessoas no Japão para depois ser liberado, mas nem todos pegaram ajuda e ficam na dúvida da demora na resposta do consulado.

Existem empresas no Japão que estão esperando os passageiros chegarem e começarem a  trabalhar porém com este atraso acaba retardando o processo de colocação do funcionário e consequentemente este deixa de ter a vaga que era certa.

Ninguém sabe até quando vai durar mas o consulado poderia reconsiderar a reemissão do visto no período correto de 6 semanas, já que em outubro de 2013 foi liberato inclusive o retorno do pessoal que pegou este benefício de 300 mil yenes.

 

Cori Passos
www.vistojapones.com.br
cori@vistojapones.com.br

Categorias

twitter.com/vistojapones

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031