You are currently browsing the category archive for the ‘shigoto.com.br’ category.

A partir de 13 de outubro todas as pessoas que voltaram com a ajuda do governo japonês só poderão solicitar o visto com tradução, encarecendo assim a  solicitação de visto.

 

WP_20160317_15_50_55_Pro

A partir de meados de outubro de 2016  consulado japonês de São Paulo pede que as pessoas que pegaram ajuda do governo no período da crise financeira mundial, que pretendem solicitar o visto no Consulado Geral do Japão em São Paulo, solicite as traduções de suas certidões de nascimento, casamento, óbito etc. na hora de requerer o visto japonês.

Essa medida de solicitar tradução para os documentos abrange apenas as pessoas que pegou ajuda do governo japonês, não sei qual é a diferença para a pessoa que pegou ajuda da pessoa que não pegou ajuda do governo porque que para alguns precisa ter a tradução e para outros não precisa?

Uma injustiça é o consulado solicitar antecedentes criminais para quem pegou ajuda do governo, independente de ser nissei ou sansei e já para quem não pegou ajuda o consulado só solicita para quem é a terceira geração fica parecendo que quanto mais longe da descendência japonesa a probabilidade é maior da pessoa cometer algum crime.

Acredito que o consulado poderia entender que as pessoas que solicitam visto japonês estão indo para o Japão “na sua grande maioria” em busca de recursos financeiros melhores que o Brasil não consegue oferecer. Em busca de boas oportunidades de emprego. Isso faz com que o perfil de cada cidadão que solicitar o visto não seja de nenhum abastado a pessoa está indo para lá em busca de recursos então essa medida acaba fazendo o requerente de visto gastar dinheiro que eles não tem, encarecendo assim a sua viagem e quando cair na mão de algum intermediário (agenciadores/promotores) esse valor aumentará exponencialmente afinal de contas as traduções feitas por terceiros não saem baratas.

De qualquer forma será necessário fazer e todos terão que se adaptar.

CLIQUE AQUI PARA VER O COMUNICADO OFICIAL DO CONSULADO (JP)

Cori

Anúncios

visto para o Japão, quem pegou ajudaVejas as novas exigências que os consulados do Japão no Brasil e a embaixada japonesa em Brasília irão fazer para conceder visto para  as pessoas que pediram ajuda do governo na época da grande crise mundial. A liberação da entrada do visto é a partir de 15 de outubro de 2013.

Japão anuncia que permite a reentrada dos Nikkeis, que receberam a Ajuda dos ¥ 300.000No entanto, é obrigado apresentar um atestado de trabalho de um ano.

O governo japonês anunciou hoje que vai permitir a reentrada dos estrangeiros, que retornaram aos seus países de origem, com a ajuda dos 300 000 ienes.

No entanto, o Japão exige que para as pessoas interessadas em retornar ao país terão que apresentar um contrato de pelo menos um ano de trabalho.

"O objetivo é de assegurar uma vida estável aos descendentes de japoneses que pretendem reentrar no país", diz o comunicado, assinado pelo Gabinete do Governo, Ministério da Justiça, Ministério dos Nogócios Estrangeiros e Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social.

Mais de 21000 Nikkeis aceitaram a ajuda em 2009 para escapar do desemprego. A grande maioria que recebeu o dinheiro era de nacionalidade brasileira.

Leia o comunicado na íntegra:
27 de setembro de 2013
Gabinete do Governo
Ministério da Justiça
Ministério dos Nogócios Estrangeiros
Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-estar

Atendimento aos descendentes de japoneses que receberam o auxílio do governo japonês para retorno ao seu país de origem

Para os beneficiários do programa de auxílio para retorno ao seu país, oferecido pelo governo japonês no ano fiscal de 2009 para descendentes de japoneses desempregados, por enquanto (*1) a sua reentrada no Japão não está sendo permitida com o mesmo status de permanência.

Com base nos últimos dados da conjuntura econômica e empregabilidade e outros, a partir do dia 15 de outubro (terça-feira) (previsão) a reentrada volta a ser permitida sob certas condições (*2).

*1. Sobre o período “por enquanto”, a princípio a previsão era de 3 anos a partir do início do programa, em abril de 2009, que seria revisado, considerando a conjuntura econômica e de empregabilidade futuras e outros.

*2. Com o objetivo de assegurar uma vida estável aos descendentes de japoneses que pretendem reentrar no país, aqueles que planejam trabalhar no Japão deverão apresentar uma cópia do contrato de trabalho com período de no mínimo um ano no ato da solicitação de visto junto à repartição consular.

Referências:
Conteúdo do programa de auxílio para retorno ao país de origem para descendentes de japoneses desempregados

– Período de realização:
Ano fiscal de 2009

– Valor pago:
300 mil ienes por solicitante e 200 mil ienes para seus respectivos dependentes.

– Resultado do programa:
Número de beneficiários do programa que deixaram o país: 21.675 (desses, 20.053 brasileiros (92,5% do total)).
Por província: 5.805 pessoas eram da província de Aichi, 4.641 pessoas eram de Shizuoka
Fonte: IPC Digital

Categorias

twitter.com/vistojapones

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031