You are currently browsing the tag archive for the ‘trabalhar no Japão’ tag.

Dados do Consulado Geral do Japão em São Paulo são de 2014 a 2016

emissão de vistos
A emissão de vistos para descendentes de japoneses poderem vir trabalhar no Japão cresceu 145% entre 2014 e 2016. O dado é do Ministério das Relações Exteriores, com base nos números fornecidos pelo Consulado Geral do Japão em São Paulo. As informações são do jornal “Estadão”.

Para se te uma ideia, em 2016 foram emitidos 11,5 mil vistos. O ponto mais baixo de emissão deste documento foi em 2009, com 1,7 mil vistos. Em 2015 foram 8,1 mil e esse número vem crescendo.

O visto em questão é concedido somente aos filhos e netos de japoneses, além de seus companheiros e dependentes.

A partir de julho será permitida também a vinda de descendentes de quarta geração, os yonseis, desde que atendam certos critérios estabelecidos pelo governo do Japão, como o domínio básico do idioma japonês.

Os yonseis que pretendem vir trabalhar no Japão devem, segundo exigências governamentais, ter entre 18 e 30 anos de idade, dominar o básico do japonês (compreender pelo menos 1,5 mil palavras) e vir sozinhos (sem acompanhamento de parentes). O visto valerá por um ano, com possibilidade de renovação para cinco.

O cônsul do Japão em São Paulo, Takuo Sato, informou que o número total de certificados, que atestam os critérios necessários para o visto, emitidos no mundo, será de 4 mil por ano. “Essa quantidade poderá mudar de acordo com a demanda”, afirma.

Até o ano de 2007 o número de brasileiros descendentes de japoneses só crescia. Naquele ano, a comunidade era composta por 313,7 mil pessoas. Após a crise financeira mundial, em 2008, o número caiu para 309,4 mil, e decresceu até 2016, chegando ao ponto de ter 180,9 mil brasileiros. A reação iniciou em 2017, ano que registrou a presença de 190,3 mil brasileiros no Japão.

Se na maior parte do período do chamado movimento decasségui os brasileiros vinham em busca de estabilidade financeira, hoje essa nova leva de trabalhadores chega também em busca de segurança e qualidade de vida, itens que têm faltado no cotidiano do Brasil.

Uma vez no Japão, os brasileiros conseguem empregos em geral em fábricas de eletrônicos, autopeças e alimentos. As províncias onde se concentram os brasileiros são Aichi (52,9 mil), Shizuoka (27,4 mil), Mie (12,6 mil), Gunma (12,4 mil) e Gifu (10,5 mil).
Fonte: Alternativa

Anúncios

WP_20170401_09_25_49_Pro (2)

O partido liberal democratico através do Sr. Jiro Kawasaki ex-ministro do trabalho e saúde, que atualmente lida no setor de incentivo de mão de obra no Japão, entregou ao Sr. Kato Katsunobu, atual ministro do trabalho japonês, uma proposta para que o yonsei (descendentes de quarta geração) possa ter a oportunidade de trabalhar no Japão bem como a expansão das oportunidades de emprego para os idosos. O Japão esta aumentando constantemente  a quantidade de idosos e a taxa de natalidade vem diminuindo o que acaba envelhecendo a população.

Brasil, Peru e outros paises da américa, conseguem enviar os nisseis e sanseis para trabalhar, ter residência no Japão, mas para o yonsei tem sido dificil conseguir. Portanto estão querendo criar um sistema para que o yonsei possa ter o visto de trabalho e não apenas de estudo ou acompnhando os pais como é atualmente, e ainda discutir expansoes sobre isso.

Hoje o mercado de trabalho no Japão ainda consegue colocar pessoas de até 70 anos para trabalhar, e esta proposta solicita que as vagas disponiveis seja tambem para pessoas acima de 71 anos de idade e que tenha boa saúde, e ainda que o Certificado de Elegibilidade (zairyushikaku nintei shomeisho), seja expandido para mais setores tudo para que tenha mais pessoas produzindo no Japão.

by Daisuke Hirabayashi
Asahi Shimbun
Link original da matéria: http://www.asahi.com/articles/ASK5C5GVQK5CULFA01V.html

NISSEI – filho de japonês
SANSEI – neto de japonês
YONSEI – bisneto de japonês

A mudança permitirá que eles obtenham qualificação nacional para trabalhar no país cuidando de idosos

cuidadores de idosos no JapãoO Gabinete japonês aprovou nesta sexta-feira as alterações propostas para a Lei de Controle de Imigração, estabelecendo um novo tipo de visto de trabalho para estrangeiros que pretendem atuar no país cuidando de idosos.

A mudança permitirá que os estrangeiros (descendentes de japoneses ou não) obtenham qualificação nacional para trabalhar no país de uma forma contínua. O projeto vai para votação no Parlamento.

Com o envelhecimento da população japonesa, assegurar um grande número de trabalhadores capacitados para cuidar de idosos tornou-se uma questão prioritária. Após a revisão, o governo pretende empregar mais trabalhadores estrangeiros.

Também estão incluídas no projeto de revisão algumas disposições para punir de forma mais rígida os estrangeiros que obtém permissão para entrar no Japão de forma ilegal ou alteram o status de residência, como medidas de segurança contra o emprego ilegal.

Segundo o jornal Mainichi, previsões mostram que o Japão precisará de 2,4 milhões de profissionais de kaigo (cuidadores de idosos) no ano fiscal de 2025, quando a geração do pós-guerra estará com 75 anos ou mais. Se não forem tomadas novas medidas, no entanto, o país terá de enfrentar uma escassez de cerca de 330 mil trabalhadores.

Os estrangeiros estão atualmente autorizados a trabalhar no Japão em 16 categorias que exigem conhecimentos específicos. A revisão da Lei de Controle de Imigração irá adicionar "cuidadores de idosos" como uma nova categoria.

O Japão começou a aceitar trabalhadores da Indonésia após a criação de um acordo de parceria econômica em 2008, seguido pelas Filipinas em 2009. No último ano fiscal, 274 deles tinham obtido qualificações para cuidar de idosos.

O governo também começou a aceitar candidatos do Vietnã neste ano fiscal. Aqueles que obtiveram a qualificação através de outras vias, no entanto, não foram autorizados a trabalhar no Japão.
Fonte: Alternativa

Categorias

twitter.com/vistojapones

agosto 2018
S T Q Q S S D
« jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: